separador

Em uma gelada manhã de dezembro de 1980, Wally Nelson abriu a porta dos fundos de sua casa em Lengby, Minnesota, e encontrou algo assustador, Jean Hilliard, sua vizinha de 19 anos de idade, encontrava-se completamente congelada na neve de seu quintal. O corpo da moça havia sido transformado em um bloco de gelo, totalmente sólido, depois de ficar exposto durante toda a noite a temperaturas abaixo dos -20 °C. Mas o que será que teria acontecido com ela?

separador

Como tudo começou?

Jean Hilliard estava voltando normalmente para sua casa, após um dia cansativo, como podemos perceber, era uma noite muito fria, a temperatura local era de aproximadamente -22º C e era possível ver a neve se acumulando na beira da estrada. Jean estava bem perto de concluir o seu trajeto, mas, de repente o seu carro parou de funcionar, estragando bem no meio de uma congelante noite e se tornando um verdadeiro pesadelo para a pobre garota. Lembrem-se curiosos, o ano  era 1980, ou seja, ainda não existiam os celulares e ela não tinha como se comunicar com ninguém. Por um tempo ela resolveu esperar dentro de seu carro, mas como o frio se intensificava cada vez mais ela teria ficado com medo de morrer congelada dentro de seu próprio carro. Assim, Jean lembrou que não estava muito longe da casa de um amigo, chamado Wally Nelson, sendo assim ela decidiu que iria buscar por ajuda, saiu do carro e decidiu encarar a neve, o gelo e toda aquela temperatura negativa.

Jean ficou completamente desorientada quando seu carro quebrou no meio da baixa temperatura.

Jean ficou completamente desorientada quando seu carro quebrou no meio da noite e do frio.

Mas, a casa de Wally Nelson não estava tão perto quanto Jean imaginava, depois de algum tempo suas pernas começaram a ficar rígidas devido as baixas temperaturas que ela estava exposta. O vento congelante literalmente cortava o seu rosto como se fossem navalhas. Tudo estava se tornando extremamente dolorido e para piorar, parecia que ela não chegaria nunca a lugar nenhum.

Foi aí então que após muitos minutos e uma marcha que parecia não ter mais fim. Ela finalmente alcançou o seu objetivo, chegando ao quintal da casa de seu amigo, porém a esse ponto ela já se encontrava completamente exausta e praticamente inconsciente. Sem conseguir atingir a campainha, Jean despencou completamente desmaiada no quintal de Wally e ali permaneceu durante aproximadamente 6 tenebrosas horas.

Jean-Hilliard-congelada

Wally Nelson encontrou Jean Hilliard congelado em sua porta em 1980. John Enger | Notícias da MPR

Wally Nelson encontrou Jean Hilliard congelado em sua porta em 1980. John Enger | Notícias da MPR

separador
O que fizeram com a pobre garota congelada?

Após ser encontrada, Jean foi levada imediatamente para o hospital da cidade. Seu estado era impressionante e chocou toda a equipe que a atendeu.

Ela estava completamente congelada, era como se tivéssemos acabo de abrir um freezer e a tirado de lá. Seu rosto estava absolutamente branco. Apenas o olhar era pálido, o olhar da morte.” Disse a chefe de enfermagem Dorothy Killian.

A garota estava tão gravemente congelada que nenhum de seus membros podiam ser movidos. Além disso, ela se encontrava tão rígida que os médicos não conseguiam sequer injetar qualquer tipo de medicamento  em seu corpo, pois suas veias se tornaram impermeáveis e que a agulha não passava pelo tecido sólido de sua pele. Seu estado era tão grave a ponto de que, se por milagre Jean voltasse à consciência, ela provavelmente apresentaria sérios danos neurológicos e teria as duas pernas amputadas devido à gangrena.

Jean Hilliard
Além disso, quando um fato parecido acontece, as células são transformadas em microscópicos cristais de gelo, e então as células são completamente destruídas. Depois que as mãos e os pés iniciam os estados de congelamento, a temperatura central do corpo cai e o coração, os pulmões, os órgãos internos do abdômen, o cérebro, começam a esfriar e fica muito difícil que deste modo eles consigam desempenhar suas funções corretamente. Nesse período, o mais provável é que o paciente não resista e morra.

O corpo dela estava tão duro que não era possível nem sequer medir a sua temperatura. Era como se fosse um pedaço de madeira coberto de gelo. Os médicos também pensaram que ela já estivesse morta e em um último esforço para trazê-la de volta à vida, eles a embrulharam em vários cobertores elétricos e edredons.

Contudo, depois de passar algumas horas enrolada em cobertores térmicos, Jean começou a sofrer violentas convulsões, o que, diante do seu estado foi considerado um bom sinal. Sendo assim ela foi imediatamente amparada, pois era certo que ela teria sérios danos cerebrais.

“Seguramos sua mão e chamamos pelo seu nome”, contou a mãe de Jean.

separador
Um milagre acontece na pequena cidade de Lengby

Mesmo se ela acordasse, os médicos achavam que teriam que amputar seus dois braços e suas duas pernas, necrosados pelo gelo. Todos achavam que Jean teria gravíssima sequelas, na remota possibilidade de sobrevivência. Quando já quase não havia mais esperança, ele repentinamente se mexeu. Jean abriu os olhos e implorou por água. Ninguém conseguia acreditar no que estava acontecendo.

Três dias depois, Jean já conseguia também mexer os braços e as pernas. Ela ficou 6 dias internadas na UTI e deixou o hospital seis semanas depois, em perfeito estado de saúde tanto física quanto mental. Os médicos e a família estavam presenciando algo próximo de um verdadeiro milagre. Um daqueles casos em que a medicina simplesmente não sabe como explicar.

Jean Hilliard, centro, repousa em um hospital de Fosston, Minnesota, depois de ter sobrevivido seis horas em 22 temperaturas abaixo de zero quando ela deixou seu carro nevado em dezembro de 1980. Vickie Kettlewell via StarTribune

Jean Hilliard, centro, repousa em um hospital de Fosston, Minnesota, depois de ter sobrevivido seis horas em 22 temperaturas abaixo de zero quando ela deixou seu carro nevado em dezembro de 1980. Vickie Kettlewell via StarTribune

Após algum tempo, Jean contou em uma entrevista:

“Eu acordei no hospital ao meio-dia. As coisas estavam um pouco nebulosas e achei muito estranho as pessoas estarem me fazendo perguntas obvias a respeito de quem eu sou e coisas assim. E eu não conseguia entender por que eles estavam falando comigo dessa maneira ou por que eles estavam me tratando assim. Claro, que eu sabia quem eram aquelas pessoas e é óbvio que eu sabia quem eu era. Não entendi nada!”

A garota de gelo deixou o hospital 49 dias depois, sem perder uma única unha devido ao grave congelamento, mostrando simplesmente algumas pequenas cicatrizes. Até hoje, os médicos não sabem como e porque ela se recuperou tão bem de um congelamento tão grave. Normalmente, quando alguém é encontrado neste estado, a pessoa morre ou, se tiver sorte, perde todos os membros, ou seja, aparentemente foi um verdadeiro milagre!

Jean (Hilliard) Vig agora mora em Cambridge. Cortesia de Jean Vig

Jean (Hilliard) Vig agora mora em Cambridge.

Após o terrível incidente, Jean fez uma turnê pelas igrejas locais. Alguns Talk shows a levaram para a cidade de Nova York para contar sua história que ficou conhecida como: a menina milagre de Lengby, Minnesota. Após toda a poeira baixar, Jean continuou sua vida normalmente, ela se casou teve filhos e depois se divorciou. Atualmente ela mora em Cambridge e trabalha em uma das lojas do Walmart. Hoje em dia, ela não perde muito tempo pensando nessa fatídica noite de 1980. Mas, aprendeu a lição e não dirige mais em estradas congeladas até tarde da noite.

separador

Mas, e aí curiosos? O que vocês acharam dessa matéria? Deixem a opinião de vocês aí nos comentários e não se esqueçam de compartilhar a matéria com seus amigos,  de curtir nossa página no Facebook e se inscrever no nosso canal do Youtube. Até a próxima curiosos!

 

face

Clique aqui para acessar nosso facebook e veja todos os nossos posts e matérias em primeira mão.

 

 

youtube

Clique aqui para acessar nosso Youtube e veja os nossos vídeos e matérias exclusivas.

 

 

instagram

Clique aqui para acessar nosso Instagram e veja as fotos de nossa equipe, curiosidades rápidas e muito mais!

 

 

separador